Liga BWIN

4ª Jornada

1-0

12' Rui Costa 

Rescaldo

CD Santa Clara

Onze Inicial

99 Marco
2 Rafa 29'
3 Mikel
4 Boateng
6 Mansur 66'
8 Anderson 89'
25 Morita
10 Lincoln
77 Rui Costa 12'
7 Allano 70'
23 Cryzan 66'

Suplentes

1 Ricardo
95 Sagna
5 João Afonso
16 Paulo Henrique
98 Ricardinho
21 Nené
26 Jean
9 Bouldini
76 Keyta

Treinador

Daniel Ramos

Gil Vicente

Onze Inicial

1 Kritciuk
5 Hackman
3 Lucas
26 Rúben Fernandes
31 Talocha
21 Vítor Carvalho
8 Pedrinho
10 Fujimoto
7 Bilel
9 Fran Navarro
29 Lino

Suplentes

12 Brian
2 Zé Carlos
4 Diogo Silva
55 Henrique Gomes
25 Irmer
15 Giorgi
57 Bueno
77 Murilo
27 Marcelo

Treinador

Ricardo Soares

Árbitro Principal

Hugo Silva

Árbitro Assistente

Paulo Brás

Árbitro Assistente

Nuno Pereira

4ª Árbitro

Dinis Gorjão

VAR

André Narciso

Os bravos de volta às vitórias

 

Depois da ressaca europeia, a equipa voltou a dar uma excelente resposta em termos exibicionais e somou os primeiros três pontos da temporada na Liga BWIN. Raça, crer e muita abnegação foram os condimentos de uma vitória muito batalhada mas justa.

 

Na véspera da partida, Daniel Ramos tinha apelado ao espírito de sacrifício de um grupo heroico de atletas que tem sido sujeito a uma elevada carga de jogos no último mês, abalado ainda pela eliminação na Conference League, a meio da semana, depois de uma sempre desgastante viagem à Sérvia. A acrescer a todas estas dificuldades, a equipa teria de combater perante um adversário competente e com as condições climatéricas que não deram tréguas até final do jogo.

 

Os bravos açorianos renasceram e disseram presente, respondendo ao apelo do seu líder. O CD Santa Clara esteve quase sempre por cima do jogo, diante de um Gil Vicente que se viu a perder muito cedo no jogo. Rui Costa, hoje a atuar mais descaído numa ala, seria o matador de serviço e autor do único golo de um jogo em que a equipa da casa foi superior. No primeiro tempo, à exceção de um remate bem resolvido por Marco Pereira, foram quase nulos os perigos criados pelos galos. A equipa mostrava-se agressiva nos momentos de reação à perda e em organização defensiva mas também criteriosa com bola e incisiva no ataque aos espaços e, para além do golo, foram várias as aproximações com perigo da baliza à guarda de Kriticiuk.

 

No segundo tempo a estratégia seria diferente. Ciente das dificuldades físicas, a equipa passou a dispor-se de uma forma mais resguardada, procurando conceder a iniciativa de jogo ao adversário. Foi isso que aconteceu. O Gil Vicente passou a assumir mais o jogo, a deter a posse de bola mas a criar pouco ou nenhum perigo. Se no primeiro tempo Marco fez uma defesa, no segundo o guardião não viria a ser chamado a intervir. De forma estratégica, a equipa tentava sair em rápidas transições através da velocidade dos seus homens da frente. A verdade é que o agravamento das condições climatéricas não permitiam um futebol muito vistoso, sendo que, até final, mais do que com arte e engenho, a equipa responderia com vontade e querer.

 

A equipa tem agora um merecido descanso, após um mês com nove partidas disputadas e centenas de quilómetros percorridos. O regresso à competição dar-se-á daqui a dois fins de semana, na receção ao SL Benfica.

DESTAQUES

 

 

Rui Costa- Exemplo de superação. O avançado foi um dos mais esforçados durante o tempo em que esteve em campo, sacrificando-se em prol da equipa. No lance do golo, confirmou o seu instinto de goleador.

 

 

MikelFoi bombeiro de serviço, liderando o eixo central perante as investidas gilistas.

 

 

Rafa Ramos- Que pulmão, que entrega. Rafa Ramos continua a somar minutos atrás de minutos com uma frescura física e uma abnegação assinaláveis.

Quem foi o melhor em campo diante do Gil Vicente FC?

  • Rui Costa (0%, 0 Votos)
  • Mikel (0%, 0 Votos)
  • Rafa Ramos (0%, 0 Votos)

Total de Votos: 0

Loading ... Loading ...

Nenhuma Informação