• “A força do grupo vai ser fundamental”

“A força do grupo vai ser fundamental”
“A força do grupo vai ser fundamental”
21 Junho 2018

“A força do grupo vai ser fundamental”

Mamadu Candé, novo lateral esquerdo do CD Santa Clara prestou as primeiras declarações enquanto jogador do clube

Mamadu Candé, lateral esquerdo de 26 anos, internacional pela Guiné-Bissau, chega ao Santa Clara depois de uma temporada no Omonia do Chipre. O jogador reiterou a vontade de voltar a Portugal para um projeto ambicioso e bem estruturado e vincou ainda a sua vontade de ajudar a equipa, definindo desde já objetivos para a próxima temporada na Primeira Liga.

 

 

Mamadu, depois do Chipre, volta a Portugal. Qual foi o motivo que pesou mais nesta sua decisão?

M: O Chipre tem um bom campeonato, é um bom sítio para se viver e possibilitou-me um bom salário mas isso não é tudo. Quis voltar para Portugal porque o nosso campeonato é mais vistoso do que o campeonato cipriota. Para além disso, o bom projeto que o Santa Clara me apresentou foi determinante. Noutro prisma, também quis voltar para junto do meu filho. Às vezes o dinheiro não é o mais importante.

 

O que conhecia do Santa Clara e dos Açores?

M: Já tinha vindo algumas vezes aos Açores para jogar frente ao CD Santa Clara e já conhecia algumas coisas do clube. Sei que é um clube muito grande, com muito prestígio em Portugal e que já merecia estar na Primeira Liga. É um clube que toda a gente respeita.

 

Como vai ser trabalhar com João Henriques?

M: Vai ser muito bom. O João Henriques é um excelente treinador mas que o ano passado não teve muita sorte no Paços de Ferreira.  Por tudo aquilo que os meus colegas de profissão dizem, sei que é um treinador que vai nos querer ajudar e que vai querer tirar o melhor de cada jogador. É um homem que está sempre muito presente na vida do jogador e que dá muitos conselhos e isso é muito importante. Tenho a certeza que ele vai conseguir, em conjunto com os jogadores e a estrutura do clube, fazer um bom trabalho.

 

A nível individual e depois a nível coletivo quais são os principais objetivos?

M: A nível individual espero fazer uma boa época, quero jogar e ajudar a equipa. Para mim é o fundamental. A nível coletivo espero ajudar os meus colegas da melhor forma para todos juntos conseguirmos o objetivo da manutenção. Tenho a certeza que vamos ter um bom grupo e que vamos alcançar o objetivo proposto pela direção.

 

Para quem não conhece o Mamadu, como se define?

M: Sou um bom jogador de grupo. Gosto de ajudar os meus colegas, gosto de dar tudo em campo e não gosto de perder, faz parte do meu feitio. Em relação às minhas caraterísticas, sou um jogador rápido, que gosta de atacar, de servir os avançados, de fazer cruzamentos mas também gosto de defender. Espero, sobretudo, poder ajudar os meus colegas e poder ajudar a fazer um bom balneário. A força do grupo vai ser fundamental.

 

 

Voltar a notícias