• ENTREVISTA A DANI COELHO- “NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS”

ENTREVISTA A DANI COELHO- “NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS”
ENTREVISTA A DANI COELHO- “NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS”
22 Junho 2017

ENTREVISTA A DANI COELHO- “NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS”

Dani Coelho, lateral direito de 27 anos é o novo reforço do CD Santa Clara para a próxima temporada. Lê aqui a primeira entrevista do Dani ao site do nosso clube!

A frase não é nossa. É de Dani Coelho. O lateral-direito de 27 anos, nascido em Barcelos, é o novo reforço da defensiva do CD Santa Clara para a próxima temporada. Não poderia ser mais marcante a entrada do experiente lateral na equipa açoriana. Depois da experiência na Roménia e da última temporada no Vizela, Dani Coelho aponta agora para a terceira subida de divisão na carreira depois de já o ter conseguido com o Arouca em 2012/2013 e com o Penafiel em 2013/2014.

 

Dani, chega ao CD Santa Clara com uma entrada a pés juntos e com um objetivo em mente, a subida. O que lhe fez vir para o nosso clube?

 

Dani Coelho: Apesar de ter tido mais 2 propostas concretas, não tive dúvidas daquilo que queria para mim.
O que me motivou mesmo foi o projeto apresentado pelo clube que é claro e ambicioso. Queremos a subida de divisão. Tenho como motivação principal ajudar a equipa a colocar o Santa clara, de novo, entre os grandes do futebol português.

 

A ideia de vir para os Açores, mais especificamente para S.Miguel, foi recebida com agrado?

 

DC: Sim, claro. Nós jogadores temos que estar habituados a estas mudanças constantes e estar sempre preparados para dar o máximo em prol do clube que representamos.
Depois, o apoio da família nesta decisão também foi muito importante pois eles também vão lá estar, sempre a apoiar o Santa Clara.

 

O que sabe sobre a história do clube que vai passar a representar?

 

DC: Em primeiro lugar é um grande clube, o maior dos Açores. Depois é um clube que também já passou pela Primeira Liga e que tem um título de campeão da Segunda liga. É um histórico do futebol português que merece, claramente, outros palcos.

 

Como se apresenta como jogador?

 

DC: Principalmente caracterizo-me como um lateral com vocações ofensivas, gosto de apoiar, sempre que possível, o ataque. Depois sou um lateral “agressivo ” defensivamente. Boa técnica e resistência.

 

O que acha que poderá acrescentar na defensiva do Santa Clara?

 

DC: Um jogador sozinho não consegue nada, agora juntamente com a ajuda dos meus colegas e da equipa técnica vou acrescentar coisas boas para ajudar o Santa clara atingir o seu principal objetivo, a subida.

 

Muitos jogadores afirmam que a Segunda Liga é mais exigente do que a Primeira. O Dani jogou na Primeira e na Segunda Liga também, confirma essa tese?

 

DC: É verdade, eu também tenho essa opinião. A Segunda Liga, para além do calendário que é super exigente , tem equipas muito competitivas, muito equivalentes, o que leva a um desgaste enorme.
Na Primeira Liga para além do calendário ser menor, existem mais espaços, pois as equipas preocupam-se mais em jogar bom futebol, a tocar bola de pé para pé, não digo que na Segunda Liga não exista isso, porque também existem equipas na Segunda Liga que jogam bom futebol mas lá está é mais complicado do que na Primeira Liga, devido à pressão que existe sobre a bola e não só claro.

 

Como correu a recente experiência na Roménia?

 

DC: Foi uma experiência para nunca esquecer. A verdade é que não consegui me adaptar ao país e principalmente a coisas estranhas que se passavam no clube (Cluj).
E claro, eu sabia que a minha esposa e os meus filhos apesar de estarem comigo também não se sentiam bem naquele país e isso foi o mais importante para eu decidir voltar a Portugal.
Mas nem tudo foi mau, ainda joguei bastantes jogos, penso que 26 e ganhamos a Taça da Roménia.

E agora, como jogador do CD Santa Clara, o que pode prometer aos sócios, adeptos e simpatizantes? A ideia passa por conquistar a terceira subida na carreira?

 

DC: O que posso prometer é o maior profissionalismo e muito trabalho. Isso vão ter sempre de mim, e com isso vamos estar mais perto de conseguir o nosso objetivo e claro conseguir a minha terceira subida de divisão. Foi isso que disse aos meus filhos e à minha esposa e acredito que é isso que vai acontecer .

Voltar a notícias